Planejamento Estratégico para Startups – Um Guia

Para muitos a ideia de um planejamento estratégico pode parecer que não se aplica ao universo startup, mas isso não é verdade. Todo projeto, independente do tamanho ou modelo, precisa de organização e gestão. Sem ter clareza para onde se está indo é muito difícil entender se há avanço ou guiar todo o time para a direção certa.

O ponto é: existirão diferenças. O planejamento estratégico de uma startup será mais dinâmico, mais flexível e com maior variações de tempo. A questão é que esta ferramenta é muito útil para embasar o crescimento e ajudar a atingir metas e objetivos para o seu negócio.

Quer entender mais sobre como organizar um plano de ação, por em prática e definir os próximos passos do seu negócio? Um bom planejamento estratégico pode até parecer simples de criar, mas a execução depende de uma boa gestão e clareza nos objetivos. Falamos mais sobre isso a seguir. Vamos lá?

 

Planejamento estratégico: o que isso significa?

 

Mais do que planejar as atividades que devem ser executadas, o planejamento estratégico tem como objetivo traçar uma linha de um ponto a até um ponto b, isto é, é sobre definir onde a startup quer chegar e descrever quais são as atividades essenciais para atingir tal objetivo.

Como você já pode ter percebido, o planejamento estratégico ajuda a trazer mais resultado para a startup. Além disso, torna mais claro o cenário, recursos e desafios que a empresa enfrenta hoje ou poderá enfrentar nas suas próximas fases.

Mas as metas não são o único ponto positivo. A verdade é que o mercado como um todo é cada vez mais dinâmico e novos desafios surgem a cada momento, podendo mudar completamente a realidade do segmento o qual você está inserido.

O planejamento estratégico vai auxiliar a empresa a se tornar menos vulnerável a estes fatores externos, algum fundamental quando se trata de um mercado incerto por natureza como os das startups.

Por fim, ao realizar este exercício, você terá uma visão clara das suas vantagens e desvantagens, erros e acertos, forças e fraquezas, o que irá facilitar o desenvolvimento de estruturas mais eficientes, a correção de defeitos e a potencialização de tudo que está dando certo. 

 

Como montar um planejamento estratégico

 

Entenda quais são os itens que são fundamentais para montar um bom planejamento estratégico para a sua startup.

 

#1 Comece pela definição do negócio

 

Antes de partir para o “como” é fundamental definir o “o quê”. Por isso, defina de forma simples o que você faz e por quê. Isto irá ajudar na comunicação tanto interna, com o time, quanto externa com o público. Os princípios da empresa irão impactar diretamente no como, ajudando a entender a forma de execução mais próxima da cultura da startup.

Além de definir os valores (ou a missão), é importante estabelecer também onde se planeja chegar (a visão). Trace uma linha de chegada, ainda que ela seja constante atualizada após ser vencida. A questão é olhar para a frente e entender onde a empresa deve estar dentro de um período determinado de tempo.

 

#2 Faça uma análise de fatores internos

 

Outro item essencial do planejamento estratégico é mapear os pontos fracos e fortes da startup internamente. Isto é: quais são as práticas processuais (ou a falta delas) que guiam as entregas da empresa? Qual é a estrutura organizacional e como ela afeta o funcionamento do negócio? Como é feito o controle da gestão e quais os gargalos atuais? Entender estes fatores é fundamental para projetar o futuro.

 

#3 Faça uma análise de fatores externos

 

Como falamos anteriormente, os fatores externos podem afetar drasticamente a realidade de uma startup. Por isso, os aspectos sociais, econômicos, políticos, ecológicos, legais, culturais e tecnológicos devem fazer parte do planejamento estratégico. Outros agentes que influenciam também são os competidores, os clientes e os fornecedores.

É por meio da análise desses fatores que se torna possível avaliar as oportunidades e ameaças, capazes de potencializar ou deteriorar as suas estratégias de negócios.

 

#4 Defina métricas de acompanhamento

 

É fundamental medir o que está sendo executado. Esta é a única forma de entender se há um avanço concreto em um objetivo, principalmente se ele não for muito tangível em um primeiro momento. Estas métricas devem ser atualizadas e  acompanhadas com periodicidade para que possam mostrar os avançou ou não.

 

#5 Defina os indicadores

 

Há três possíveis indicadores para guiar o seu planejamento:

Indicadores estratégicos: são aqueles que olham para o futuro, e, por consequência, estão ligados a missão e visão. Via de regra deverão ser alcançados entre 3 e 5 anos. Eles surgem após esse mapeamento de fatores interno e externo e dos diferenciais da empresa, com ajuda da análise SWOT, por exemplo.

Indicadores táticos: estes irão se relacionar mais com cada área da startup. Ao contrário dos indicadores acima, devem ser executados em janelas menores de tempo mas sempre alinhados com o estratégico da empresa. Se os indicadores táticos estão sendo atingidos, existe grande chance dos objetivos estratégicos também se realizarem.

Indicadores operacionais: de curto prazo, estão vinculados com a operação do dia a dia na empresa e com o andamento dos processos. Podem ser designados para cada colaborador, por exemplo.

 

Erros para você não repetir no seu planejamento estratégico

 

Não envolver a equipe e os clientes no planejamento

 

A questão é que você sozinho não consegue ter uma visão completa: as pessoas que atuam no negócio e os seus clientes conseguem ter insights e trazer novas perspectivas as quais você não tem acesso. Uma sugestão é organizar uma reunião para ouvir: chame seus colaboradores e colete esses dados. Pesquisas ou visitas a clientes também podem ser valiosas. 

 

Suas iniciativas estão listadas, mas não foram projetadas

 

Planejar não é apenas listar ações em um papel. Você precisa planejadas de fato. Para maior consistência no seu Planejamento Estratégico, você deveria agora iniciar o Plano de Projeto para cada iniciativa proposta, onde você possa visualizar: datas, atividades, responsáveis, tempo, competências necessárias, custo e objetivos. Tenha isto visível em um local de fácil acesso e acompanhe cada uma das etapas.

 

Não priorizou as iniciativas mais importantes

 

O que importa no seu planejamento é a qualidade das iniciativas propostas. Você sabia que 45% dos projetos não são nem iniciados justamente por isso? Coloque todas as suas iniciativas em ordem de prioridade, avalie o tempo, custo, prazo e riscos. Não perca foco no que é mais importante.

 

Falta de acompanhamento do planejamento estratégico

 

O dinamismo do mercado faz com que ele esteja em constante mudança. Por isso, além de criar um planejamento estratégico, o que também importa é acompanhar periodicamente aquilo que é planejado. Uma vez que o planejamento é essencial para a redução de riscos, a revisão do mesmo é uma maneira de mantê-lo como prioridade.

Já se sente pronto para começar a fazer o seu planejamento estratégico? O próximo passo é por a mão na massa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja nossos outros posts :)

Estamos só começando.

tudo-sobre-okr

Tudo o que você precisa saber sobre OKR

Definir metas, criar um planejamento e medir e acompanhar os resultados é o framework básico para um negócio saudável e bem sucedido. Porém, por mais

Sua Evolução começa aqui.

Se inscreva para acompanhar :)